Domingo, 01 de Agosto de 2021
62 41020134
Cidades Infraestrutura

Mais de 8.500 micros e pequenas empresas, MEIs e autônomos serão beneficiados por linha de crédito emergencial da Goiás Fomento de até R$ 50 mil

O presidente da Goiás Fomento, Rivael Aguiar, esclareceu dúvidas durante entrevista no Jornal da Rio, da Rádio Rio FM e disse que Pires do Rio será beneficiada

24/03/2021 14h00
Por: Rosângela Aguiar
Mais de 8.500 micros e pequenas empresas, MEIs e autônomos serão beneficiados por linha de crédito emergencial da Goiás Fomento de até R$ 50 mil

O Governo Estadual liberou R$ 112 milhões para concessão de créditos do Programa Estadual de Ajuda a Micros Empresários – PEAME – com empréstimos com juro zero, seis meses de carência e até 36 meses para pagamento das parcelas. Os valores a serem concedidos não podem ultrapassar 30% do rendimento anual dos anos de 2019 ou 2020, o que for maior. As informações e explicações foram dadas pelo presidente da Goiás Fomento, Rivael Aguiar, durante entrevista concedida a Washington Luiz e Dr. Hamilton Roseiro no Jornal da Rio, da Rádio Rio FM, no dia 17 de março.

O juro zero será subsidiado pelo Fundo de Equalização do Estado. “O pacote de ações do Governo Estadual, por sinal o único a acionar o Pronampe do governo federal, inclui concessão de créditos para pequenos e micro empresários, micro empreendedor individual e autônomo, além da prorrogação das parcelas de empréstimos já contratados junto a Goiás Fomento”, explicou Rival Aguiar. Ainda segundo o presidente da Goiás Fomento, as empresas que já possuem empréstimos de até R$ 100mil contratados terão seis meses de carência para voltar a pagar essas parcelas, também com juros subsidiados. Em todas essas ações os empresários, seja micro ou grande, não poderá demitir funcionários durante os meses de carência.

“Todos os setores da economia tem acesso ao programa. São três linhas de crédito, uma específica para o setor do turismo, que envolve bares, restaurantes, hotéis, pousadas, agências de viagem com limite de até R$ 50 mil, vinculado a 30% do faturamento nos anos de 2019 ou 2020, o que for maior”, informou o presidente da Goiás Fomento. Empresas de outros setores da economia podem pedir o empréstimo até R$ 21 mil, também limitado a 30% do faturamento nos dois últimos anos e para o microempreendedor individual (MEI) e o trabalhador autônomo o valor máximo disponível para empréstimo é de R$ 5 mi. “Isto inclui o feirante, o vendedor de espetinho, a manicure entre outros”, informa Rivael Aguiar.

O prazo de pagamento para o MEI e autônomo é de 24 meses (dois anos) com seis meses de carência. Para as outras duas linhas de crédito são 36 meses para pagar, também com seis meses de carência. “Todas essas linhas de crédito têm juro 0%, sendo 100% subsidiado pelo estado, porém tem uma contra partida: pagamento em dia das parcelas após a carência e no caso da micro empresa e da empresa de pequeno porte não pode reduzir o número de funcionários durante seis meses”, explica. Esta fpoi a forma encontrada pelo Governo Estadual de evitar demissões nesse período o que levaria muitas famílias para uma situação de pobreza.

Negativados

Uma das questões levantadas pelos apresentadores do Jornal da Rio, Whasington Luiz e Dr. Hamilton Roseiro, foi a preocupação com os que estão com os nomes pessoais ou das empresas negativados em função de atrasos de pagamentos a credores e colaboradores, bem como as exigências de certidões negativas e negativação no SPC e Serasa, além da exigência de garantias para a concessão do empréstimo. O presidente da Goiás Fomento esclareceu que, apesar destas exigências serem feitas por determinação do Banco Central, o governador Ronaldo Caiado autorizou a dispensa destas exigências, mas com uma data de corte que é março de 2020, quando tiveram início as medidas restritivas por conta da pandemia de Covid-19.

“Essas ações visam amenizar parte desse problema e garantir que as empresas, MEIs e autônomos possam continuar abertos e trabalhando, fazendo a economia girar nos municípios”, explica Rivael Aguiar. A dispensa das certidões negativas de tributos já havia sido dispensada em medida provisória publicada pelo Governo Federal. Mas ações em Goiás vão além, segundo o presidente da Goiás Fomento.

O micro empreendedor individual e o autônomo vão contar com um fundo de aval do estado, que dispensa a apresentação de garantias como imóvel ou outro bem, e, até mesmo, de avalista. O mesmo vale para as micro e pequena empresas, mas por meio de parcerias com Sebrae, Sociedade Garantidora de Crédito e o FGI do BNDES. “É importante ressaltar que será garantido um aval para a concessão do crédito, não é um seguro de crédito, se a pessoa ficar inadimplente, o fundo vai honrar com essa garantia, mas a pessoa ou empresa continuará sendo cobrada”, alerta.

Rivael Aguiar ressalta, ainda, que se a empresa, MEI ou autônomo, negativadas após o mês de março conseguir a aprovação do crédito, este só será concedido no limite de até 30% da dívida em relação ao valor solicitado. E tem a liberação dos recursos condicionada ao pagamento dessas dívidas pelo próprio empresário ou autorização para que a Goiás Fomento efetue a quitação e desconte do valor a ser liberado. “O crédito será feito no cartão da Goiás Fomento utilizado para o repasse dos recursos. Desenhamos todo esse arranjo para viabilizar esse apoio financeiro”, enfatiza. E lembra que este não é um programa de bolsa, mas de crédito com juro zero, bancado pelo estado de Goiás e inédito no país.

Para os que se endividara antes de março de 2020, o Governo Estadual disponibiliza o Programa Mais Crédito da Secretaria da Retomada em Desenvolvimento. O programa garante apoio para o empresário renegociar as dívidas com fornecedores ou com os credores e assim poder buscar o empréstimo da Goiás Fomento.

Atendimento

Os interessados nas linhas de crédito devem preencher um formulário e enviar os documentos necessários, bem como a solicitação do valor do empréstimo pelo site www.goiasfomento.com. As dúvidas podem ser esclarecidas de segunda a sexta das 9h às 17h pelo telefone 3216-4900; pelo email  atendimento@goiasfomento.com ou em um dos parceiros da Goiás Fomento. No caso de Pires do Rio são dois correspondentes de crédito: Marca JG Consultoria e Assessoria Empresarial e Murilo Alberto Budaz Rezende, além do atendimento do Sebrae e da Sociedade Garantidora de Crédito.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias