Domingo, 01 de Agosto de 2021
62 41020134
Saúde PANDEMIA

Prefeita de Pires do Rio diz que tentou evitar o lockdown, mas a alta de mortes levou à decisão extrema

Cida Tomazini alerta que todos os cidadãos devem fazer a sua parte e usar máscara e higienizar as mão com álcool

15/03/2021 15h38 Atualizada há 5 meses
Por: Rosângela Aguiar
Prefeita de Pires do Rio diz que tentou evitar o lockdown, mas a alta de mortes levou à decisão extrema

“Há mais de 20 dias temos avaliado os indicadores em relação à Covid-19 e fizemos de tudo para não fechar tudo, mas as recomendações das secretarias estadual e municipal de Saúde, Comitê de Contingência Municipal (Comitê de Enfrentamento à Covid) e o Ministério Público Estadual, são para o lockdown. Tivemos que ceder para o bem de toda a população”, argumentou a prefeita de Pires do Rio, Cida Tomazini. Desde sábado, dia 13, somente os serviços essenciais podem funcionar. O lockdown tem duração prevista de 10 dias.

As aulas presenciais nas redes pública e privada de ensino estão suspensas desde o dia 13 de março e passam a ser somente remotas, assim como cultos religiosos, de qualquer denominação, que devem ser online. O atendimento ao público na Prefeitura acontecerá somente para casos específicos, como entrega de documentos para a inscrição do processo seletivo da Secretaria Municipal de Assistência Social, credenciamento da área da saúde e realização de licitações em andamento.

Entre os critérios utilizados para tomar a decisão de fechar o comércio, as igrejas, e demais serviços considerados não essenciais, está o embasamento na taxa de ocupação de leitos de UTI e Enfermarias destinadas para pacientes com coronavírus; contágio e evolução da doença; novos casos, número de óbitos e taxa de letalidade.

Toda semana a Secretaria Estadual de Saúde faz uma avaliação desses critérios e classifica as regiões de saúde em alerta, crítica e calamidade. Segundo o Mapa de Risco da SES, apenas a Região de Saúde Nordeste II, está classificada como “Crítica”. Todo estado está em “Situação de Calamidade”, inclusive a Região Estrada de Ferro, onde está situado o município de Pires do Rio.

“Desde o final de janeiro todas as cidades vizinhas a Pires do Rio como Ipameri, Caldazinha, Caldas Novas e Catalão enfrentam situação muito complicada, onde a taxa de infecção e mortalidade foram altas nas últimas semanas. Não tínhamos outra coisa a fazer se não decretar o lockdown em Pires do Rio”, esclareceu o secretário municipal de Saúde, Bruno Maia, no dia 12 de março, durante a divulgação do Decreto 7.720.

Bruno Maia explica que cada classificação traz junto um pacote de restrições. “Temos feito levantamento diário de todos os indicadores em Pires do Rio”, explica. E diz que os indicadores servem como alerta para o Executivo e este alerta foi acionado nesta semana porque todos “os indicadores explodiram”. Ele informa que durante os dez dias de vigor do novo decreto será feita uma avaliação diária de todos os indicadores – novos casos, taxa de letalidade, número de mortes, casos graves, taxa de ocupação de leitos de UTI e Enfermaria. “Somos dependentes da rede estadual de UTI e Enfermagem e precisamos olhar com cuidado essa situação”, explica Bruno Maia.

Ele informa que ao final da próxima semana, a Prefeitura vai fazer uma reavaliação da situação, baseada em todos os indicadores e, assim, decidir se o lockdown continua ou será prorrogado. “Não é hora de fazer festa familiar, encontrar com os amigos. Este é o momento de nos resguardarmos”, alerta o secretário de Saúde de Pires do Rio.

A prefeita Cida Tomazini explica que o decreto de lockdown é apenas um instrumento disponível ao Executivo Municipal para conter o avanço de casos graves e mortes no município. “Dependemos, principalmente, da conscientização de cada um, daquele que frequenta lugares públicos. Todos precisam ter muito cuidado com si próprio e com o outro”, enfatiza.  Cida Tomazini disse que tem recebido muitos pedidos no Whatsapp pessoal para manter abertos determinados tipos de atividades, mas que há mais de 15 dias luta para evitar essa situação. “Quem define o que é ou não serviço essencial é o Governo Federal. Nós estamos cumprindo a Lei”, informa.

 

Quando questionada sobre as indústrias que permanecem funcionando normalmente, Cida Tomazini explica que o setor é considerado essencial pelo Governo Federal. E cita a empresa Friatto, instalada no município, que tem adotado normas sanitárias rígidas e possui 1,68% de taxa de transmissão e 0% de mortes. “Tem como combater essa pandemia. Se a empresa era o maior risco da região e conseguiu conter a transmissão do vírus, nós vamos conseguir, mas depende de cada cidadão e cidadã”, reforça.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias